Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

clube da luta all stars no cic:

nunca ganhei dinheiro com música. não com a minha. não que ela seja ruim ou pouco vendável. não é. mas nunca me deu dinheiro, fato. a culpa talvez seja minha. ou talvez seja minha também. não importa, continuo fazendo canções. não faço para ganhar dinheiro, faço pois preciso. e preciso para não enlouquecer ou virar alcoólatra ou ter depressão. 
nunca ganhei dinheiro com "editais de fomento a cultura". não participei de um mega projeto em que fui beneficiado por "debaixo do pano". nem tive que passar adiante os 20% de nenhum secretário de cultura corrupto em um envelope. não aceitei trabalhar no programa de tv da campanha de um político desprezível, mesmo precisando do dinheiro. 
não apoiei o candidato cretino que fez o mínimo, em causa própria, mas que depois veio pedir apoio aos artistas da cidade. não lhe neguei a verdade, constrangedora, em "encontro com a classe": NÃO VOTAREI NO SENHOR.
as vezes me arrependo e nesses momentos penso o quão mais fáceis ter…

negramerica - get free:

das faixas que incluí no dj set negramerica, uma entrou na onda não apenas por ser ótima, mas por quase ter se imposto: grudou em minha cabeça nos últimos tempos — get free do major lazer. como ela ganhou novo vídeo bacanudo (já tinha esse), vi no trabalho sujo de alexandre matias, quis trazer para cá... as imagens do novo clipe, captadas na jamaica, me parece, potencializam as leituras da letra (de protesto?). no mais, aproveitei e selecionei alguns dos seus remixes que mais me agradam.


e agora, para completar, get free, seu groove lento e seus versos políticos, em três remixes classudos (e a quem interessar possa, a versão por mim discotecada é a do mashup do dj prophet).

negramerica (dj set):

para iniciar a semana. para dar boas vindas a primavera. para trazer sorte, dinheiro e a pessoa amada em três dias ou, simplesmente, para animar sua vida por alguns minutos: negramerica, um dj set cheio de balanços americanos. 
a ideia, simples, é colocar na roda, nas próximas semanas, mais outros dois destes. explorando outras levadas, outras atmosferas, concluo uma espécie de trilogia para o corpo e para mente.
e por hoje é só. divirta-se.
informações necessárias: (01) a foto ao lado, a versão original da arte que fiz para ilustrar o trabalho, é do mestre alberto henschel | (02) a lista com a sequências das faixas pode ser encontrada na descrição do link no mixcloud (aqui)


Negramerica (dj set - jean mafra by Jean Mafra on Mixcloud

intocáveis:

então, você assiste aquele filme bacanudo — bonito, divertido e muitíssimo bem feito. entretenimento, sim, mas de qualidade. daí que, por causa desse filme perde a vergonha de dizer que AMA earth, wind and fire. sim, aqueles mesmos que fazem pop dançante da melhor qualidade, mas que nem sempre receberam o crédito que mereciam de público e imprensa mais "cri-críticos"...
daí, você se lembra que tem alguns vinis do grupo (que mesmo sendo rotulado de disco, já fazia um som funky para lá de balançante bem antes da febre das discotecas varrer meio mundo). você baixa uns dois álbuns que ainda não havia parado pra ouvir, pesquisa na web sobre a história dos caras, adia de ir atrás do novo do (cantor) otto e passa o dia inteiro com aquela música na cabeça (september— e essa versão aqui, é ou não uma graça?!). no fim, lembra que ela é uma das suas preferidas desde sempre (e que é a cara dessa primavera que se anuncia). mais, nessa hora entende o quão é fã de fantasy e let's groove

antibalas:

antibalasnão é exatamente uma banda, é um coletivo. formado e sediado em nova york, seus integrantes vem de lugares tão distintos quanto áfrica, europa e américa do norte. lançaram há alguns meses o auto-intitulado quinto álbum (sete longas e vigorosas faixas — ouça aqui). fazem algo que passeia por aquilo que chamamos afrobeat (até o disco anterior se chamavam antibalas afrobeat orchestra) e estão juntos há 15 anos. 
não os conhecia, veja só. e olha que os caras tocaram no brasil esse ano, inclusive. se perdi tempo, fazer o quê?! aproveitar e me deleitar com essas levadas envolventes.

(trouxe para cá o vídeo de dirty money, do novo, e ainda a gravação de uma aparição dos caras nas ruas de san francisco nos u.s.a. em 2004 mandando big man)

mashup:

selecionei 4 mashups bacanudos que podem ajudar o seu dia (ou a sua noite, sabe-se lá) a ficar mais animado(a). uns são novinhos, outros nem isso, mas todos vêm cheios de groove. vamos de dj prophet juntando santigold com cure, mais mestre dunproofin trazendo  o synth-pop do human league para perto da disco funky do chic e, ainda, qnoe mixando um clima ragtime dos muppets com a verborragia cheia de balanço de notorious big e tupac. para finalizar, o suingue cool armado pelo g3rst com inxs e sounds defects...

em tempo e não menos importante: há ainda essa imagem aí, ao lado, que, embora não saiba exatamente de quem é, achei que seria apropriada para a ocasião... tá esperando o quê?! bom som, boa viagem.

filme de segunda (EVOÉ):

um filme, um documentário, uma ficção, um fragmento poético: josé celso martinez corrêa (com e sobre). 

evoé - retrato de um antropófago
direção: tadeu jungle e elaine cesar
brasil, 2011


andré guesser (meus amigos são um barato):

com andré guesser tive uma banda por cerca de 7 anos. desde o fim da samambaia sound club, guesser vem trilhando outros caminhos, seja com a five5boys (trio roqueiro de nome, digamos, estrombólico) ou como dédi boy, persona com a qual assina algumas faixas disponibilizadas no soundcloud. 
quem já o ouviu tocando certamente concorda que andré é um grande baterista (preciso, econômico e cheio de balanço). além, ainda, é um produtor dos mais competentes — foi o principal realizador do projeto samambaia convida (que entre 2004 e 2005 trouxe bidê ou balde, aerocirco, mundo livre s.a., wilson sideral, pipodélica e vários outros para dividir o palco com os anfitriões) e um dos responsáveis pelo clube da luta (coletivo de bandas que por três anos mobilizou artistas e público em florianópolis).
tenho orgulho de ser amigo desse geminiano de gênio forte e teimosia impossível, mas cheio de talento e ética (algo sempre digno de aplauso). 
separei algumas das suas produções como dédi boy para este pos…

sobre ontem, hoje e amanhã:

quando digo que esse negócio de política é algo muito triste, repito  um clichê, mas o que fazer se o lugar comum nos atravessa o caminho como aquela pedra?! tarde de ontem em são josé da terra firme, centro comercial campinas no bairro kobrasol, eu e ana carina mais a nossa pequena (com pouco menos de três meses) colada em mim, no sling, tentamos pegar um táxi. tentamos e tentamos, por mais de meia hora, e NADA... 
vento gelado em plena presidente kennedy, em frente a um ponto dos mais valorizados na "grande florianópolis", depois de várias tentativas, seguimos a pé até perto do shopping itaguaçu(!). note que para ir de ônibus teríamos que cruzar uma avenida, caminhar um "belo pedaço", seguir até o centro, para daí, então, pegar outro "latão" que nos levasse para casa (em barreiros, ao lado do kobrasol). aí, pergunto: em um momento assim há como não sentir ódio de gente(?!) como dário & djalma berger — que nos últimos 15 anos "governam" são …

5 filmes:

são vários, daí que, ao invés de cometer pequenas resenhas com a profundidade de um pires, linkei, ao menos, os trailers dos filmes bacanudos que andei (re)vendo por estes tempos... conta comigo(stand by me, 1986, rob reiner) é aquilo: pop poderoso, está na minha lista de preferidos desde sempre | toda forma de amor (beginners, 2010, mike mills), apesar do título estúpido que lhe deram no brasil, é cheio de beleza e emoção |  heleno (2012, josé henrique fonseca) é daqueles filmes quase tão bonitos-densos-complexos quanto os personagens que tentam retratar. e ainda têm, de lambuja, rodrigo santoro nos lembrando que não é apenas um moço bonito | para j. edgar (2011, clint eastwood) vale tudo que disse sobre o anterior, só o nome leonardo dicaprio é que deve substituir o de santoro | tron - o legado (tron, legacy, 2010, joseph kosinki) não é isso tudo. talvez nem valha por toda a pirotecnia ou participação e trilha do daft punk. mas não é ruim de todo... acho.

pega na mentira:

o cineastapedro mcteve umpost removido de sua página no facebook. o motivo, aparentemente, foi uma denúncia de algum "fã ofendido" do candidato a prefeitura deflorianópolis cesar souza junior. a questão é que o ex-secretário de cultura, esporte, turismo e sabe-se lá mais o quê do governo colombo, é "vendido" através de propaganda televisiva tão entusiasmada que, por vezes, chegamos a desconfiar se aquilo de fato é verdade... mc brincou com isso e descobriu que, infelizmente, em tempos sisudos, melhor não cutucar a onça (ou pegar o rabo, pisar em cima, bater nela). daí que, pesquei o textinho (inspirado em erasmo & roberto?!), pois achei que neste bloguinho não lhe tirariam do ar (será?!)...

(antes, um pequeno adendo: curioso que o candidato "das artes" não tenha comparecido ao debate promovido pelo conselho municipal de cultura, que ontem à noite pôs frente a frente postulantes a prefeito e parte da "classe artística" da cidade...)
__________…

bacanudos:

6 discos: ouvi, recomendo. do primeiro digo apenas que não é ruim, como poderia se esperar desse tipo muzak para bebês. ok, não espere um disco "arrojado", mas para além de ajudar a embalar minha ana b., song for babies - beatles têm versões caprichadas para lindas canções.

pentarradial, da bloomy, me foi indicado pelo vocalista do grupo, meu amigo israel rodrigo. ouvindo suas faixas concluí que não é para mim (essa onda rock'n'roll me cansa facilmente), mas não é ruim. não mesmo. tem pegada, pressão, alguns bons riffs e melodias fortes e pegajosas, ou seja, preenche muitos dos requisitos caros ao mundo rocker... a maior parte das letras resvala em algo que, infelizmente, pode ser chamado "auto-ajuda". por vezes lembram aquelas frases de efeito que adolescentes replicam em redes sociais. pena. mas nem tudo está perdido, vá lá, dê uma chance a bloomy.

se em 1972 alguém dissesse que tom zé em 2012 seria um dos grandes da música de 2012, provavelmente ninguém cr…

quem tem groove tem tudo:

renato magrini, mr. what'a'funk? (uma das festas mais gostosas de floripa, para quem ainda não conhece), fez o favor de disponibilizar esse dj set bacanudo em seu soundcloud. play!

mais duas canções:

duas canções, duas pontas, dois brasis. primeiro a estreante café da manhã, daqui, da minha floripa. meninos classudos, malemolentes e um tanto quanto lisérgicos. vem embalados pela voz metalizada de gabriel felipe jacomel. na sequência, a agridoce presença de camila honda (lá do outro lado), de belém do meu pará. chega em ótima companhia, ninguém menos que felipe cordeiro, na produção. duas jóias. ambas meio ofuscadas pela imensa quantidade de sons & coisas por aí, mundo afora... que brilhem, pois. 
ouça já, passe adiante. 

(se tiver curioso para ver camila cantando essa belezinha ao vivo, ó)

duas canções:

para o início de uma semana curta, duas canções, dois vídeos. a primeira é a nova de uma das minhas bandas preferidas nestes últimos anos, bomba estereo — que volta mais orgânico, mas não menos interessante (o  novo álbum, elegancia tropicial, chega logo-logo...). a outra faixa é de uma cantora que ainda nem lançou disco, mas (veja só) já tem uns dois ou três hits poderosos: azealia banks. menina bonita, e esperta, a americana vem numa onda (visual e musicalmente) mezzo garage house, mezzo black-dance safra 1991 (não por coincidência, título da nova, que lembra crystal waters, c + c music factory, en vogue...). 

por enquanto é só. e nem precisava mais, né?!


sobre uma mentira arrumadinha:

estive há pouco mais de um mês no lançamento do site da candidata a prefeitura de florianópolis, angela albino. aliás, eu e outros blogueiros. quase me arrependi de ter ido, falei demais, queria cutucar ideli salvati, mas acabei apenas sendo inconveniente. esse mea culpa inicial é necessário, acho, mas o ponto mesmo é que gostei de poder conversar com a candidata menos cretina entre os postulantes às prefeituras da nossa região. angela me parece a mais articulada entre os que almejam estar a frente da capital (o que, convenhamos, não é difícil). ok, há o pt catarinense com ela... o apoio de ideli, para mim, é um tanto queimação de filme, mas, vá lá, pode também ser visto como "maturidade" política.

todavia, a questão é outra. nem voto em florianópolis, no fim das contas. voto em são josé (que, aliás, só tem candidato MUITO ruim). por isso não me alongo sobre angela ou outros candidatos (incluindo o quase afônico, quase meu xará, gean loreiro).

falo agora daquele em quem não…