Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

duo ouro negro:

o duo ouro negro, formado por raúl indipwo e milo mcmahon, surgiu em angola em fins dos anos 1950. de lá foram para portugal, onde permaneceram, mas sem deixar de conquistar públicos na espanha, frança, suíça e outros com seu som suingado. cheguei a eles por acaso e de tão embasbacado com a qualidade das músicas que vi/ouvi, quis trazê-los para cá. e você, conhecia?! aliás, a quem interessar possa, tanto raúl, quanto milo, estão mortos, mas suas faixas podem ser ouvidas aqui, ali, acolá (tem coisa bacana, mas tem coisa chulezenta também... vale a pena procurar).

bowie:

esta é uma "parceria" entre o aiê fashion e as minúsculas cujo principal objetivo é redizer o que não se deve esquecer: DAVID BOWIE É O CARA...

chico science:

15 anos atrás, quando chico science se foi, não pensei muito a respeito. haviam outras questões com que devia me preocupar. isso não significa que aquela morte, e aquela vida, não tenham sido importantes para mim. dei para pensar no moço, e no que teria feito se não tivesse nos deixado tão cedo, após tomar um chopp (antes do almoço) com os amigos marco antonio jaguarito e marcão evaldo. depois do papo fiquei (pensando melhor) com essas questões na cabeça. os dois músicos foram responsáveis pela criação da banda lamaçau, que faz um tributo a science há quase 10 anos.
ontem, durante o lançamento da 2º edição da maratona cultural de florianópolis, pensei em como seria legal termos como uma das atrações do projeto alguém que equivalesce a science (uma karina buhr, por exemplo). lenine vem, mas o pernambucano virou o arroz de festa mais chato do pedaço há, vá lá, uns bons 10 anos. os mutantes vem, mas, no meu entender, se fosse para trazer alguma banda morta-viva com crédito, seria mais int…

new romantic 1982/2012:

para alguém da minha idade, essa conversa sobre new romantics não precisa de muita explicação (será mesmo? mais ou menos, né?!). já para alguém, como uma amiga que nasceu em 1990, meu post anterior sobre o tema (esse, o primeiro de uma série), ficou um tanto mal explicado... sendo prático e direto: os new romantics surgiram na inglaterra entre fim dos anos 1970 e o inicio da década seguinte (foram mais um desdobramento do pós-punk). abusaram de maquiagem, laquê e babados. eram andróginos e faziam ou curtiam pop eletrônico para pista. mas com alguma poesia, uma certa provocação e um pouquinho de mistério (e/ou melancolia). de lá saíram nomes tão distintos quanto soft cell, human league, duran duran, culture club, eurythmics, spandau ballet, japan e outros. os new romantics foram influenciados diretamente pelo glam de david bowie (pai de todos) e roxy music, pela eletrônica cabeçona do kraftwerk e pela purpurina hedonista e cheiradona da disco music. além de apreciarem moda e uma atmosf…

m.i.a.:

ela está de disco novo. mas antes dele chegar, nos delicia com esse novo single/vídeo: bad girls. ainda que possa ser classificado como "fofolete" se comparado ao estardalhaço de dois anos atrás, quando se uniu pela primeira vez ao cineasta romain gravas em born free), m.i.a. volta cheia de provocação. madonna mesmo tendo a companhia da moçaem seu último clipe (este), pareceu tão tiazinha comportada depois do lançamento de bad girls... 


o que me chama a atenção no trabalho de m.i.a. é como ela consegue amalgamar questões conflitantes (política & pista, underground & mainstream), mergulhar em lugares comuns (cantora pop fazendo som dançante e cara de má) e soar como novidade mesmo depois de seu trabalho ter sido devorado por vários outros artistas. o novo vídeo junta questões delicadas sem a menor diplomacia, mas tudo justificado pelo resultado: paulada dançante. estão lá oriente médio, periferias, drift (ou uma técnica imprudente de trânsito), sexo (SIM SIM SIM), pode…

argentina 2012:

é verão no hemisfério sul. que tal um pouco de pop argentino para animar este tórrido início de semana? comecemos com a cumbia eletrônica do super guachin, sigamos com o rap mezzo beastie boys de el orgullo del mamá e terminemos com o indie rock da banda de turistas...
que fique claro, os três citados acima estão com trabalhos novos na área, é só dar uma pesquisada por aí para encontrar. vale a pena ir atrás das novidades de alguns dos nossos vizinhos (no chile, por exemplo, tem um monte de coisa bacanuda).

discos discos discos:

dos discos que ouvi, ou ando reouvindo, destaco estes. é verão e a gente volta da praia, toma uma cerveja e fica de papo pro ar ouvindo música... sei lá, acho que vale dar um confere em um e outro - são bacanudos.




new romantic 1982/2012:

há alguns anos um roqueiro poser local me chamou de "boy george de floripa". na época não fiquei nem chateado, nem lisonjeado, nunca fui fã do culture club. conheço os hits do grupo e uma ou outra coisa feita por seu ex-lider, nada mais. mas recentemente, quando decidi que iria fazer uma série de posts sobre os new romantics e sobre o fato do "movimento" completar 30 anos, concluí que aquilo que poderia ser uma espécie de achincalhe  era, na verdade, um elogio... antes de seguir, preciso deixar claro: em 82 new romantic não era novidade, mas era moda, graças a sua chegada ao topo das paradas mundo afora, daí se comemora (aqui, em minúsculas) seu ápice. e não seu nascimento (é possível saber mais aqui e aqui).


ao pensar naquela pose e música escapistas hoje em dia, é possível ver que assim como no início da década de 1980, passamos por um período de crise financeira global (naquela época se (vi)via a implantação do mesmo modelo neo-liberal que nos levou ao colapso pó…

blue monday:

difícil entender um suicídio, quase sempre. mais ainda o de um pai de quatro filhos, sendo o mais velho de 14 anos e a mais nova de pouco mais de 5. difícil ter o que dizer numa situação dessas. de cortar o coração ver chorar a "viúva", a filha do meio, o pai e a mãe. dizer o quê em um momento desses? sabe-se lá. agora, há um outra questão que vem dentro desta: quantos moços, moças, velhos, velhas tiraram a vida neste começo de 2012? existem números? é impressão minha ou estamos diante de um índice altíssimo de falecimentos deste tipo por agora (ao menos aqui, em santa (e bela e triste) catarina? será apenas coincidência? teria a ver com o tipo de sociedade em que vivemos? com o "consumo desenfreado", com a "sociedade do espetáculo"? culpa cristã?
(mas não esqueçamos: o mesmo discurso religioso que tenta consolar os que ficaram, envenenou lentamente os que deram fim a própria vida — o próprio jesus, sobre um certo ponto de vista, foi um passivo que se deix…

agora só falta você:

é uma festa, é meu aniversário, é a reestreia do bonde vertigem com novo baterista-vocalista-arranjador-parceiro (o multi-talentoso gringo heinzmann). é também a oportunidade de testar algumas novas possibilidades/músicas e de dividir o palco com alguns amigos queridos em um lugar bacanudo (conhece o general lee?). estamos felizes, estamos diferentes, estamos livres e abertos para o que virá, e é tão bom estar assim (um belo dia resolvi mudar / e fazer tudo que eu queria fazer...). 
no fim das contas, há um ep a caminho e um show novo, cheio de paixão/tesão. adoraria ver você por lá. bora?
(e, por favor, divulg'aí, que casa cheia já será um presente e tanto)

do que li, estou lendo, destaco:

há alguns meses saboreio contracultura através dos tempos de ken goffman e dan joy. apesar de não ter dedicado a sua leitura o tempo merecido, estou na onda de uma folheada aqui, outra acolá, recomendo. ótima reflexão e texto, muitos apontamentos e descobertas possíveis em suas páginas. | o pequeno livro dos beatles, de hervé bourhis, é uma divertida e leve bio dos quatro cabeludos mais famosos do mundo. pode ser um bom acompanhamento para audição dos discos dos "moços". | bequadro é o nome de uma revista que investiga e apresenta o cenário musical contemporâneo da bahia. vai do axé ao rock, do hip hop ao afro-jazz, e além de bem escrita, traz consigo o que aquele estado tem de melhor: mistura. (quem dera tivéssemos algo do tipo em santa catarina...) | marc spitz, autor de bowie - a biografia, provavelmente se incomodaria com o título enganoso, pois traduz erroneamente a biography, que a editora benvirá deu ao seu livro por aqui. ainda assim, pelo personagem fantástico ali r…