quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

champagne no gelo:

disco, disco, disco! voltemos a disco music para celebrar, pois o estilo é sobre isso, sobretudo. é música de festa, é trilha pra acasalar e sentir o corpo... lhes apresento, então, o hit do (esquecido) dançarino-cantor ronaldo resedá (morto ainda na primeira metade dos 80's) - aqui é possível vê-lo em ação durante o especial de tv feito pela rede globo com rita lee... no mais: champagne no gelo / salgados e doces / prepare os talheres / os discos e as poses / (...)a festa nunca vai acabar... 
(quer dizer, esse é, na verdade, o meu desejo).


quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

agradecimentos (& um brinde ao que virá):


não há nenhum pesar em mim em relação a estes últimos suspiros de 2010. sai pra lá, ano estranho! estranho, mas não ruim, não de todo. aprendemos com as tristezas, embora seja sempre preferível não ter que ser assim...

mas não posso esculhambar este 2010 de todo, claro. foi um ano de muito trabalho e conquistas, quase todas compartilhadas nestas minúsculas. a questão é que, infelizmente - mesmo tendo lançado dois ep's (rosebud e rosebud para lugar nenhum - de remixes), um álbum (sim, o disco da ssc que saiu esse ano era também meu, certo?!?) e um vídeo clipe (isso sem citar os trabalhos para outros artistas: o clipe da hesh (direção), o ep de billy rezk (produção) e o show de gabriel reis (direção)) - fiz pouquíssimos shows nos últimos doze meses... e isso me deixa louco! mesmo (ando com sede palco). por isso pretendo, a despeito de minha atuação política (tanto aqui em sc, quanto fora do estado...), me dedicar a montar uma nova banda neste 2011.

mas quero aproveitar o momento para agradecer publicamente aos parceiros que nos últimos tempos me ajudaram a construir alguns projetos: alexandre sucupira, bárbara damásio, bhianca chiaradia, billy rezk, cisso bordignon, clive mund, daniel vieira, desiree trindade, eduardo "xuxu" vicari, everton rodrigues, felipe melo, fernando menezes, flávio guimarães, gabera, grazi meyer, guilherme "califaliza" coutinho, guilherme zimmer, gustavo anitelli, isaac varzim, israel do vale, lara guimarães, lígia estriga, marcio costa, martha dias, patrícia lima, paula felitto, tatiana cobbet, tati "pani lane", the skrotes (chico, igor e ledoux), thiago "aiê" francisco, thiago "miojo" bonin, thiago skárnio, thiago sthark, e vina "da caverna" zimermann. e mil perdões se esqueci alguém...

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

um post de passagem:



passei por aqui, com pressa, para dizer quase nada. acho que amanhã, com um tiquinho mais de fôlego, volto e me despeço deste 2010. e você aí, gostou dos últimos 12 meses?



que tal um trecho de letra de música pra engrossar o post?

aqui, ó:

sua mãe e eu
seu irmão e eu
e mãe do seu irmão
minha e eu
meus irmão e eu
e os pais da sua mãe
e a irmã da sua mãe
lhe damos as boas vindas, boas vindas, boas vindas
venha conhecer a vida

eu digo que ela gostosa, ah
eu digo que ela gostosa, ah
tenho o sol e tem a lua
tem o medo e tem a rosa...

boas vindas (de caetano veloso) - seja bem vindo, 2011.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

natal rock'n'roll:

ok ok ok estou mais light e não vou falar mal do natal este ano nem me preocupar com nenhuma maldita pontuação ora foda-se

hoje tem festenha rock'n'roll no blues velvet e vai ser divertido e a gente tem mais é que se divertir 

bora lá encher a cara

(ontem meu sobrinho de 5 anos me perguntou depois de ganhar uma pequenina imagem do menino jesus - mas o que ele faz?)
jesus luz é gato
pc siqueira não é gato mas é foda... aliás talvez mais foda por não ser gato

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

verão, enfim:

se hoje já é verão, nos entreguemos ao sol e ao mar, à música e ao sexo (ok, ok, hoje o tempo não está como deveria, mas...). um viva às noites da estação: com cerveja gelada e papos sem fim... e nesse janeiro que se aproxima, nos entreguemos aos dias longos e preguiçosos - e aos prazeres de todos os tipos! eu, por minha vez, quero curtir o fim-de-tarde de porto belo (a foto ao lado é de lá...) e andar pelas ruas cheias das noites da lagoa da conceição...
separei 5 canções que - para mim - são a cara do período que se inicia... (aumente o som:)











segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

amanhã começa o verão:

se amanhã começa o verão, que tal se despedir a gente se despedir da primavera?!? trouxe aqui um texto feito para a resvista de divulgação da temporada que o tijuquera fez na célula em outubro e novembro últimos - projeto sexta sim. minha idéia foi, de algum modo, fazer uma espécie de boas vindas a estação - mas mais ainda, quis homenagear algumas das pessoas que fazem floripa melhor... tenho orgulho deste escrito - e de ter participado da temporada, claro. meu orgulho se dá, em grande parte, por causa do momento de que vinha e da maneira como me coloquei diante do que poderia vir (e veio). explico, meu inverno não foi apenas frio, foi tristíssimo...

_____________________________

Sexta sim, Sexta sim, e nada de “não” nessa primavera!

Quando Marcio Costa me pediu um texto, quis não ser linear e escrever sobre como é possível se divertir em Florianópolis na primavera – sexta sim, sexta sim. Eu quis não discutir questões teóricas (e/ou práticas) sobre a geração de músicos, artistas, compositores e bandas de Santa Catarina da qual pertenço e que vive um momento de reinvenção, reconstrução, recomeço (que o digam Samambaia Sound Club, Tijuquera, Sociedade Soul, Aerocirco, Muniques, Jeremias Sem Cão, Jean Mafra – sim, e porque não? – dentre outros...). Quis cantar o carnaval fora de época da noite da cidade que amo e que às vezes me cospe um trânsito infernal no fim de tarde barulhento do trajeto ilha-continente, ou me beija um bafo doce-salgado de mar sob a noite de vento frio. Eu quis deixar para lá qualquer resmungo e gritar num sussurro cantado: nesta sexta sim, pra começar: um bom banho de mar. E quis não entender como o Clube deixou de ser uma coisa para vir a ser outra, mais ampla, mais arejada, mais dispersa, mais e menos interessante, mas não menos importante. Eu quis não me fazer entender de primeira. E nem explicar coisa nenhuma.

Não quis gritar com ódio o nome do prefeito, quis cantar com amor o apelido do cidadão.

Eu quis a companhia de quem ama essa cidade e não quer isso ou aquilo, mas isso e aquilo. Quis querer o querer de quem se diverte na Célula e no Jivago, na Lagoa e no Centro, no boteco e na buati (nas 1001 noites, em 1007 vezes). Eu quis fazer um samba em homenagem à nata da malandragem: Paulo Vasilescu & Marcio Costa, Emília Carmona & Guilherme Zimmer, Vina & Mutley, Tatiana Cobbett & Marcos Espíndola, Cristaldo de Souza & Tiago Franco, Bruno Barbi & Rodrigo Daca, Felipe Melo & Fábio Brüggemann, Ulysses Dutra & Você... Sei lá, preferi gostar das coisas que a gente pode ter aqui e agora e quis não gastar papel em apontar questões & discussões. Pertinente agora, sexta sim, sexta sim, é querer o querer de quem merece ser querido.

Quando Marcio Costa me pediu um texto, podia ter pedido qualquer coisa. Pois eu quis não dizer não. E ainda quero: sexta sim, sexta sim. E por quê? Porque sim, ora!

(antes do fim: um sim, assim “pálido e tenso” – antes que chegue escandalosa a punhalada do silêncio)

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

marina lima:

marina lima é dona de uma discografia de altos e baixos. há coisas (bem) ruins, como o acústico da mtv, e outras medianas, próxima parada, registros a meia voz... mas há alguns trabalhos belíssimos; marina lima (1991), o chamado (1993) e pierrot do brasil (1998) são desses - entre os dois primeiros e o último há abrigo (1995) e o já citado registros (1996) que se não são aquilo tudo, ainda assim tem ótimos momentos... foi desta fase pós-synth-pop-platinado que trouxe algumas canções/vídeos da cantora/compositora para cá (aliás, alguns registros estão muito mal representados no youtube... mas acho que já vale como dica de o que ouvir de marina).








terça-feira, 14 de dezembro de 2010

sobre os últimos dias e hoje e amanhã e depois:

se fosse mais organizado e estivesse menos cansado, provavelmente já teria publicado aqui, em minúsculas, um relato-descrição-posicionamento sobre várias questões e desdobramentos da feira música brasil... agora foi, acabou né?!? não?!? de todo modo preparo para logo um texto mais formal sobre o evento, e devo encaminhá-lo para alguns jornalistas, blogueiros e veículos de comunicação daqui, de santa catarina... se interessar, interessou - o(s) link(s) devem surgir em breve no twitter...

por hora, aqui, nas minúsculas, digo que me emocionei com o show de lucas santtana. se sou fã da música de lucas e não é de hoje, sua apresentação sábado, no espaço lapa multishow (bh), esteve a altura da minha expectativa (conciliou o quente e o frio, a potência e a delicadeza, o brasil e o mundo - foi algo como um neo-tropicalismo-pós-decadência-bonita-do-samba). mas aproveito e digo que curti demais as experiências sonoras de babilak bah e a apresentão de rita ribeiro... no domingo, virado, viajei de volta e pude, entre bh, guarulhos, floripa, entender o que espera quem, neste fim-de-ano, pretende se deslocar pelos aeroportos brasileiros...

ok, ok, estou de volta, faz frio em floripa e eu já estava com saudade. mais: hoje tive uma divertida reunião com alguns dos protagonistas das música daqui e pude, mais uma vez, constatar o quão bom é saber que não se está sozinho... (alô, sc conectada!)
____________________

e como me preparo para discotecar na festa/happening que a revista catarina prepara para amanhã, com pocket show da muniques (projeto do meu parceirinho cisso bordignon), desfile da belmondo e discotecagem de tiago franco, ulysses dutra e yo, (pois é, pois é!) resolvi disponibilizar por aqui uma das minhas armas preferidas do momento...




MC Gi - Dança Do Facao ( HUNGRY SAM Rmx) by MC GI

sábado, 11 de dezembro de 2010

otto (com lirinha + bebel gilberto + elza soares):



ontem tive uma noite e tanto: foram muitas as idas e vindas e casas e shows e sets, mas quero falar apenas de um momento. deixo para amanhã, quando já estiver em minha casa, uma reflexão mais "aprofundada" das minhas impressões desta feira música brasil. por agora, quero falar da emoção do show de otto, com as participações de lirinha (ex-cordel do fogo encantado) e bebel gilberto, mais uma aparição inesperada e iluminada da grande elza soares.

otto ao vivo é uma loteria, quem sabe, sabe... afinal: ou o show é muito bom ou não e tudo depende da quantidade de aditivos consumidos pelo músico. ontem, ele estava muito bem, cantou quase sempre afinado, foi menos falante que o habitual e encantou a platéia com suas danças desageitadas, suas falas sem nexo, seu canto emocionado (em 6 minutos, por exemplo - como não poderia deixar de ser). a poderosa participação de lirinha, talvez pela potência de sua presença cênica, serviu de combustível para o anfitrião e sua música. sua banda, com estrelas como pupilo (nação zumbi) na batera e bactéria (mundo livre s.a.) nos teclados, foi, sem sombra de dúvidas, o grande motor da apresentação, que teve seu ápice no momento em que otto e bebel gilberto dividiram a deliciosa bob (mesmo errando a letra e se mostrando um tanto quanto deslocada ali, bebel trouxe novo brilho para um palco iluminado)...


por fim, como bis, eis que surge, elza soares no palco. o público, emocinado, ovacionou a cantora, mas pode desfrutar muito pouco de sua voz, pois a organização do evento, cumprindo a rígida lei da prefeitura de belo horizonte, cortou o microfone do trio - que entoava emoriô de joão donato e gilberto gil... pena, a despeito da prefeitura, da lei e da ordem, não se pode cortar o microfone de uma elza soares. nunca!

dali houve ainda muitas conversas, danças e idas e vindas (descobri um lugar incrível - mercado novo - e um dj fantástico - patrick tor4).

________________________________

a foto ao lado foi tirada agora a pouco, sou eu entre os músicos do grupo porco de grindcore interpretativo, que resolveu lançar seu novo single em um formato inusitado: um disquete (veja você: se o mundo acabou, então viva o mundo novo e as novas (e velhas) possibilidades da música e do mundo - pois é pois é pois é).

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

de belo horizonte:



há muito o que se fazer em belo horizonte durante a feira música brasil. muita coisa bacana para se descobrir e se desfrutar: música boa, de todo o país. mas isso sem negar que a cena de minas, nos últimos dois ou três anos, tem sido uma das mais prolíficas e interessantes do território nacional. neste sentido, a escolha da funarte e da rede música brasil, de trazer para cá a edição 2010 da fmb foi, no mínimo, acertada. isso não significa que não tenham sido cometidos erros neste percusso, claro: os erros foram muitos. mas eles não superam os acertos. ainda assim, apontá-los é o modo mais inteligente de poder corrigir futuros equívocos...


um dos motivos de minha presença aqui é a da falta de representatividade do sul do país no painel de artistas da feira. assunto espinhoso: embora se festeje a diversidade fora do eixo, temos entre os oitenta artistas selecionados pela curadoria da feira (note que estou citando também os suplentes, ou seja, os que provavelmente não se apresentariam em bh) apenas 1 do sul (nenhum de sc). e o mesmo número do norte e do centro-oeste... ora, então, se de oitenta, apenas 3 vem de um território tão grande, é porque algo está errado, não??? em reunião da rede música brasil houve quem dissesse que tivemos este resultado por causa do grande número de curadores oriundos do nordeste... será? prefiro não acreditar que se o curador é de uma região privilegiará apenas a sua região... até ontem, pouco antes de andreas kisser do sepultura subir ao palco, poderia se dizer que haviamos tido por aqui uma mostra musical do nordeste... antes de passar para outro assunto, quero deixar muito claro que reconheço o quão rica é a cultura musical desta região. o que não se pode é não iluminar, em um evento que é da música brasileira, as nuances e possibilidades criativas de outras regiões (uma cena rica como a do norte do país não poderia, de modo algum, estar tão pouco presente aqui, certo?).

mas sigamos adiante: na primeira noite, a primeira decepção, gilberto gil, por causa de um problema nas regras do fmb, não pode se apresentar ao lado do macaco bong (que por ter sido atração ano passado não poderia novamente estar na grade de shows)... pena. lamentei profundamente, mas acabei por me render a força do repertório e da banda de fé na festa. SHOWZAÇO! antes ainda, houve uma linda apresentação do uakti - que nos presenteou com uma versão algo kraftwerk para trenzinho caipira de villa-lobos - e da cantora sergipana patrícia polayne - cujo som poderia ser definido como cocteau twins visita o nordeste e cai no funk. e depois? segui para o lapa, importante reduto da nova música de bh, onde me deliciei com o set dos caras da festa criolina, de brasília.

ontem, dia 09, foi a vez de ouvir a bela voz de flávia bittencourt cantando dominguinhos e a orquestra popular de recife com o maestro ademir araújo (em poderosos arranjos de metais e percussão). a atração principal da noite, no palco funarte, andreas kisser, fez um show quase pífio... se não fosse a presença de lenine e flávio venturine, além da boa banda que o acompanhou, com henrique portugal do skank nas teclas, a coisa poderia ter sido ainda pior... noite adentro, houve de tudo um pouco e não faltou emoção: no lapa, assisti ótimo show de tulipa ruiz (que teve entre seus convidados a estonteante presença de thalma de freiras) que havia sido precedida por um divertido set do dj anônimo (alô, israel do vale!!!), que incluiu delicias do repertório de otto e calypso (a-do-ro!). dali, corremos com lucas santtana para outro lugar, em santa teresa para trocar umas idéias com um coletivo de artistas plásticos em um mix apê-estúdio (de frente para uma praça onde, segundo o jornalista e motorista de plantão israel do vale, o povo do clube da esquina se encontrava para tomar uns gorós...). na volta, me joguei na galera durante a apresentação de bnegão e os seletores de frequência... foi aí que perdi meu celular e meu entusiasmo... dança, dança, dança do patinho...


por hoje é só, mas fiquem aqui com um interessante questionamento de everton rodrigues do mpb - aliás, estou orgulhoso por ter mediado uma conversa de reaproximação entre circuito fora do eixo e mpb (porque? porque ganhamos todos, o que querem construir um cenário mais justo para a música popular brasileira de hoje e de amanhã).

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

feira música brasil:

estou aqui, em belo horizonte, participando da feira música brasil. faço parte do colegiado de música (da rede ligada ao ministério da cultura) e do mpb (música para baixar) e graças a essa minha atividade politica-cultural fui trazido para o centro nervoso de várias discussões que envolvem circuito fora do eixo, políticas públicas de cultura (e dinheiro, claro), mpb, rede música brasil, minc e outras questões, organismos e pessoas. estou sem grana, o tempo é curto, mas, estou feliz. é minha primeira vez em minas e quero aproveitar (os shows são muitos, assim como os encontros, debates oficinas e coisas para se fazer - quem ama música, iria curtir estar onde eu estou).

ao longo desta semana quero voltar aqui para disponibilizar uns posts mais "decentes" e informativos que este, por hora, preciso ir, para um reunião importante... e para ver o show de gilberto gil e macaco bong (juntos?!?! ôba!!!).

________________

alô santa catarina, é nóix, tamo junto!!!

sábado, 4 de dezembro de 2010

filipe catto, arthur nogueira:


dos discos que tenho ouvido/baixado nos últimos tempos, dois quase que se entrelaçam e se completam no player do meu computador. a coincidência não é mera coincidência. primeiro porque quem me os apresentou foi o site a musicoteca, que acompanho desde antes da época em que meu rosebud ep foi disponibilizado por lá. segundo porque, a despeito das diferenças estéticas entre os dois artistas, há, evidentemente, algo que os une para além da versão que arthur nogueira fez para ascendente em cancêr de filipe catto.

arthur nogueira me foi apresentado recentemente, através de mais, uma das melhores canções que andei ouvindo por aí-por aqui. a partir dela ouvi e baixei seu mundano, de 2009 e, na sequência, descobri seu novíssimo (ep) mundano +. foi paixão a primeira ouvida. há uma delicadeza amarga ali, mas algo diluído, sutilmente diluído, aliás. algo que, por não saciar de imediato, só nos dá mais vontade de repetir e repetir a dose. mas por causa de uma das canções deste seu novo trabalho, resolvi investigar, enfim, após já ter lido a seu respeito na revista noize, o material de filipe catto. que voz! é curioso porque devo estar repetindo um clichê dos que se manifestam sobre como foi a primeira vez em que ouviram a voz do moço. mas não dá para negar que no susto a gente se pergunta: será que é uma moça cantando? será que errei de link? mas, para alegria minha, filipe catto não é apenas dono de uma linda voz, é um intérprete afiado e um compositor talentoso.



uma das coisas que mais me animaram a me manisfestar aqui a respeito destes moços, é o fato de que tanto no trabalho de um quanto no do outro, há - e se eu acreditasse em deus agradeceria a ele publicamente - uma preocupação clara com as letras das canções. elas dizem, e dizem de modo claro, mas se preocupam em dizer ao seus modos (linguagem, né?!) e isso está fazendo uma falta no que ouvimos por aí... não?! se até um andré forastieri, que vem de uma tradição roqueira que não costuma dar muita bola para essas coisas, já se manifestou a respeito (aqui), deve ser porque a coisa está muito muito feia...

mas volto a mundano + (baix'aqui) para dizer que, diferentemente de seu antecessor, há não apenas mais programações e texturas eletrônicas adornando suas canções e voz, mas mais maturidade na atmosfera íntima, melancólica, já presente no disco do ano passado. além de, talvez por suas 5 faixas forçosamente adenssarem nossa impressão, um foco maior nas letras de tom confessional (fique com o seu deus / que eu fico com os meus / dias de glória e trapaça...) - e arthur, apesar da pouca idade, passa longe da mania diário-aberto-da-minha-vida-sexual recorrente em parte de sua geração.

filipe catto, por sua vez, é um pouco menos ousado na hora de vestir suas canções. seu som, mais acústico, mais mpb, mais cabaré, é tão confessional quanto o de seu colega, embora seu caminho seja outro: o que em arthur é sussurro, em filipe é quase grito. há um força melodramática assumida em sua música, e o que para alguns poderia ser um grande pecado acaba por ser, e por causa do bom gosto presente em arranjos, interpretação, canções e letras, o grande mérito de saga (seu ep - baix'aqui).

às coincidências que apontei, se somam também as diferenças entre os dois jovens cantores (ambos com menos de 22 anos): um (o que se assume mais sutil em repertório e interpretação) vem de belém do pará - a quente e úmida belém do tecno-brega e da lambada, pouco afeita a conservadorismos musicais - e o outro (que abraça o melodrama como seu caminho) saiu da fria porto alegre e hoje vive na cosmopolita são paulo (a porto alegre do rock conservador que desde sempre emula os 60's e que forjou os ultra conservadores, e retrógados, ctg's - centro de tradições gaúchas). eu, que amo as duas cidades (e me sinto parte destas duas pontas do brasil), estou amando também ouvir a música dos dois - que em suas coincidências e diferenças, para mim, são complementares...


sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

2010, adeus:



não foi um bom ano para mim. não de todo, claro (mas também sei que "na vida a coisa mais feia / é gente que vive chorando de barriga cheia"). bom, mas se as coisas que se deram neste 2010 passaram longe do planejado por mim, isso (mesmo que seja possível enumerar muitas alegrias ao longo do percurso), me fez mais melancólico no período. talvez tenha a ver mais com o ano zodiacal que com a coincidência dos últimos doze meses. talvez não. mas se tudo é símbolo e se precisamos de símbolos, confesso: estou feliz de chegarmos a dezembro. e se falta pouco pro verão, o que para alguns é um alento, eu que detesto natal, sinto que ao contrário do que houve em anos anteriores o clima, está chegando a época de curtir a vida adoidado tem se sobreposto ao amai uns aos outros e comprai tudo que puder porque é natal...

como tenho andado ocupado nos últimos e nos próximos dias, não poderei agora fazer deste o post que gostaria. mas ainda farei.

a foto acima é de joel lisbona.