Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

discotecando no blog:

do terceiro mundo para as pistas. como hoje é sexta, o melhor dia da semana (e em véspera de feriadão - içaaa!), quero dividir com vocês algumas pérolas que encontrei por aí... comecemos com spoek mathambo (que aliás, descobri no blog que fábio bianchini criou para esperar o verão) - direto da áfrica do sul e passemos pelos jamaicanos sly & robbie em uma gostosa versão do clássico el cubanchero, feita com os parceiros da taxi gang (mais chico & tenky como convidados). adiante, chegamos ao rio de janeiro, que recebeu a visita do rapper norte-americano lil jon, cuja faixa machuca foi divida com os indefectíveismr. catra e mulher filé. para terminar, seguindo a onda "países em desenvolvimento, uni-vos" ,chegamos ao grande dj chernobyl, que foi até a russia produzir uma faixa em parceria com o trio bazooka boom.
bora dançar?!?







música pop(ular) e mercado e exclusão:

em 2006 eu tinha uma coluna no site tô puto. foi lá que disponibilizei pela primeira vez o texto que pode ser lido abaixo. ele está velho, mas ainda diz algumas coisas interessantes sobre o mercado da música que temos hoje neste país. lembrei desta fala por causa de uma entrevista que rômulo fróes deu ao site scream & yell - aqui. o link me foi apresentado pelo jornalista jaime gonçalves filho (café escuro), com quem venho trocando algumas impressões sobre mainstream e mercado independente e música pop(ular) no brasil - ou no centro e na(s) "periferia(s)" do brasil.
este assunto ainda rendeu, lá em 2006, um outra reflexão (essa)... na verdade, este blá-blá-blá sempre me fez escrever aqui e acolá. muito porque algumas destas questões não tem respostas fáceis, e quando tem resposta, ela ora pode ser uma, hora pode ser outra... eu, por minha vez, venho construindo minhas perguntas - quase todas sem respostas, confesso...
hoje, relendo o que escrevi, vejo inúmeros problemas em…

laura lópez castro:

tudo que quero é uma semana plácida. assim, como o som da cantora (espanhola-germênica) laura lópez castro (que conheci através do trapésio sem rede de ana roman). nada de debate político aqui. não vou alfinetar serra e seus comparsas (que se dizem do bem, mas são na verdade do dem). não vou defender a candidata dilma rousseff, pois ela já recebeu muitas defesas e apoios - todos mais importantes que o meu (este, de pedro alexandre sanches, é um dos mais bonitos, acho...). de todo modo, faço questão de deixar bem claro que, contra um projeto de país que passa longe do que acho justo e interessante para o brasil, voto 13 no domingo 31.
mas, como disse, no início, quero uma semana plácida para mim. e lhe desejo o mesmo, caro leitor(a). por essas e outras selecionei pra este post alguns vídeos do duo laura lópez castro e don philippe - residentes em berlim (optativoé o título do mais novo álbum da dupla). dá para notar, e não apenas por causa da versão de acabou chorare dos novos baianos,…

um post (bem) fragmentado (e cheio de parabéns):

era pra eu não estar aqui. eu devia ir ao blues (velvet) hoje, na festa da (loja) varal ou de uma de suas donas, a marcele (parabéns, neguinha). mas não fui. problema meu, perdi. estou cansado.

hoje a tarde, de dentro do palácio cruz e souza (florianópolis, centro), pela janela, vi, na rua, um homem alto e bem vestido tentando ajudar a índia e seu indiozinho a recolherem as moedas que ele, indíozinho (de no máximo dois anos), havia deixado cair. o homem, em pé, enquanto a índia e o indiozinho de cócoras, ajudava olhando e arrastando o vil metal com o sapato. e eu, da janela, ouvia vozes sussurrando poemas (não lembro e nem vou pesquisar que exposição está rolando por lá - mas depois desta cena não quis continuar ali).
e a tarde estava linda, né?
antes disso passei pelo espaço meyer filho pra ver-ler o diocionário de idéias feitas. já sabia que encontraria alguns bons trabalhos ali, dito e feito. o erro grupo, como sempre, acertou. não há muito sobre o que dizer sobre a exposição, é peque…

coração iluminado ou quando encontrarem nós dois ou maria luisa mendonça e hector babenco:

fiquei emocionado ao ver o filme coração iluminadode hector babenco. isso foi, se não me engano, em 2002. imediatamente após assistir ao vhs (pois é pois é pois é) escrevi um "poema", que seria musicado (em parceria com thiago gomes, andré guesser, daniel gomes e fernando "zenk" baasch) pouco mais de um ano depois em uma jam/ensaio - na época em que construiamos o repertório do que viria a ser a samambaia sound club. desde então tenho a esperança (cada vez mais remota) de que o diretor e co-roteirista do filme e uma de suas protagonistas, maria luisa mendonça, saibam da existência da canção...
no álbum samambaia sound club, lançado em 2006, dedico a faixa ao diretor e à atriz. e porque? por acreditar que não seja apenas por causa de coração iluminado ou pela admiração que sinto pelos dois artistas para além dos domínios deste seu encontro (sou fã da maior parte da produção de babenco e acho miss mendonça uma das mulheres mais sexys que já foram filmadas), mas porque…

just a gigolo:

eu poderia discorrer sobre as eleições que se aproximam e explicitar algumas posições e decepções. poderia aproveitar para comentar o debate dos presidenciáveis que acontece neste momento na rede tv... não vou, não quero, não vale a pena. não agora. bom, mas poderia também contar um pouco sobre ontem: como foi divertido encontrar alguns amigos no casamento de dois deles. ou a partir deste encontro, como pretexto, contar das belezas que encontrei pelo caminho - a festa aconteceu a beira mar, na armação da piedade, em governador celso ramos - e me entricheirar contra o poder econômico que, ao construir um mega empreendimento naquela região, provavelmente destruirá parte de sua bonita paisagem (você conhece? já esteve ali?). sou contra o esteleiro de eike batista, mas não pretendo adentrar este "lodo" por hora.
para este começo de semana quero me divertir com uma velha e deliciosa canção austríaca (da década de 1920): schöner gigolo - ou, como veio a ser conhecida,just a gigolo

meus discos preferidos - behaviour:

desde que vi, no facebook, uma lista dos 15 álbuns preferidos do jornalista fábio bianchini, venho adiando iniciar uma série de posts sobre os discos que amo. não seria uma “lista” exatamente, mas uma reflexão de como e porque elegi este ou aquele lp, cd, ep, como meu preferido – aliás, sem qualquer ordem de preferência. agora, se para começar o ideal seria falar de introspective dos pet shop boys, afinal este foi não apenas meu primeiro disco, mas aquele que me despertou interesse para a música, como já havia escrito a respeito aqui – quando dos 20 anos de aniversário de seu lançamento – pergunto: por onde começar, então? eu mesmo respondo, com outra pergunta: que tal por outro aniversariante?
em 1990, quando neil tennant e chris lowe lançaram behaviour, decepcionaram muitos fãs, jornalistas e executivos de sua gravadora. se ao longo dos anos anteriores o duo construíra uma reputação que os colocava no centro do pop para pistas e se, ali, naquele inicio de década, a dance music tomava…

uma lista do que fiz:

neste feriadão, dentre outras coisas, li. e dentre as coisas que li destaco a graphic novelpríncipe da pérsia (galera, 2010), de jordan mechner e a. b. sina (roteiro), e leuyen phan e alex puvilland (ilustrações). inspirada em um popular game - que eu, que nunca fui fã destas coisas, não conhecia, o livro se desenrola através de bonitas imagens e enredo fragmentado e nada ortodoxo. que, aliás, ganha o leitor aos poucos, mas o prende até um inesperado desfecho. outra leitura destes dias foi a revista trip, que além das entrevistas com alguns remanescentes dos novos baianos e com o antropólogo roberto da matta, vem ainda com as histórias do casal que comandava a produção de pornô bizarro no brasil e do incrível jack o'neil (além, claro, das fotos da modelo guisela rhein - porque ninguém é de ferro).
mas não foi apenas de descanso esse feriadão: a festa promovida por alguns membros damusicatarina neste sábado (e eu era um deles) foi divertidíssima, mas deu muito trabalho. no fim das c…

pavel kiselev:

em meio a lama da política (cuidado com o discurso carola do candidato das oligarquias e das grandes corporações midiáticas), um alento: as imagens do fotógrafo russo pavel kiselev - que descobri há algumas semanas no pé de moça
(álias, daria para fazer dois posts com belas fotos do artista russo - outro dia, então, o faço...)


por hora, continuo aqui, em porto belo, de pernas pro ar. hoje, nesta manhã fria e ensolarada com a qual santa catarina costuma nos brindar em outubro, passei parte do meu tempo mirando o mar (lindo, azul e deveras gelado - não deu para ficar mais que cinco minutos na água). nessas horas sempre penso: "chega de noite e drogas, vou dar um tempo"... talvez consiga.




discotecando no blog:

música, para animar a nossa sexta-feira - o melhor dia da semana. e aí vem feriadão, e se a chuva permitir, teremos a chance de cair no mar... agora, com chuva ou sem chuva, hoje a noite quero ao menos uns três dry martinis!!!
bora de hits certeiros dos últimos 40 anos. comecemos com a deliciosa voz de cee lo green (gnarls barkley) embalada por irrestível groove retrô: fuck you. voltemos 10 anos: gilberto gil embala um forró malemolente - esperando na janela, da trilha do filme eu tu eles. menos uma década? 1990 nos apresenta um george michael embebido soul na irrestível freedom'90. voltemos mais uma década e nos deixemos com os talking heads e a poderosa the great curve - em versão ao vivo. e para terminar, nada melhor que sex machine de mr. james brown, não?!? yeah!!!

_______________________









agendinha:

são tantas as coisas acontecendo neste feriadão que nem sei por onde começar. daí que lhes apresento minha agendinha-meia-boca... nesta sexta-feira, no vecchio giorgio (lagoa da conceição), acontece festa da mtv com as bandas the dead rocks e fabulous bandits - ambas passeando por sonoridades, digamos, "retrô". discoteco por lá e pretendo cobrir a pista de mashup's (torcendo para que dê certo!). na mesma noite ainda há a segunda edição da temporada sexta sim - com tijuquera e we music (na verdade, também estou nesta temporada, mas por alguns contra-tempos de agenda, quem irá por o povo da célula pra dançar será o dj zé pereira a.k.a. gustavo monteiro a.k.a. gustavo vésper). agora, o programa imperdível da sexta, me parece, é a estreia do espetáculo o fantástico homem que imitava a si mesmo (texto inédito de fernando bonassi), no teatro sesc prainha. com direção de jefferson bittencourt, a peça fecha a trilogia lugosi - que tem o grande renato turnes como intéprete. eu, m…

faroff:

não pretendo falar de política por enquanto, embora ainda continue sendo esse o assunto que mais me interessa no momento. mas mesmo na hora de entrar em novo clico e contar um pouquinho sobre o trabalho de um produtor do qual sou fã há algum tempo, faroff, devo confessa que o que me motivou a esse post foi um hit criado a partir da fala de uma das criaturas mais bizarras surgirdas no bizarro cenário político brasileiro: weslian roriz... (e não é que ficou bem bom?!?!?)
já discotecava mashups de faroff quando em novembro do ano passado, vendo andré past colocar algumas das faixas do produtor para embasbacar o povo no festival música livre em vitória, entendi o quão seu trabalho poderia deixar os mais conservadores indignados (a-do-ro). como exemplo cito as faixas que unem beatles + bob marley - aqui, lady gaga + jorge ben + carmem miranda - ali, e, ainda, britney spears + queens of the stone age - acolá. agora, independentemente destas questões, o trabalho de dj leo faroff contém doses …

coisas várias:

em meio à sujeira que se acumula pelas ruas, lotadas de papel, se elegem figuras sujas como raimundo colombo e luiz henrique da silveira - ê, santa catarina... triste. para presidente nenhuma novidade. triste. e eu votei psol.
mas voltemos. na sexta estive na célula, na estreia da temporada do projeto sexta sim do tijuquera. ali vi a santa catarina que me deixa feliz: gente bacana, bonita, ouvindo música autoral e se divertindo. o povo que saiu de casa naquela noite enfrentou o frio e a chuva e, ao que me pareceu, voltaram para casa satisfeitos com o bonito show dos anfitriões (no capricho: som, palco, arranjos, cenário, telão). mas além da banda, houve ainda a apresentação de teco padaratz (acompanhado por um excelente grupo de músicos) e a minha discotecagem (pois é...). a quem interessar possa, a festa acontecerá em todas as sextas de outubro e novembro e sempre com convidados especiais.
aproveito também para repetir o quanto admiro marcio costa, por suas iniciativas que sempre contr…