Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

romain gavras:

romain gavras foi apresentado ao mundo pop em 2008, quando dirigiu o polêmico (ok, a palavra é desgastada e (quase) vazia) clipe de stress do justice. o vídeo, que contém muitas cenas de violência, chegou a ser banido da tv francesa e gerou um certo desconforto para o duo. mas, como não poderia deixar de ser, por ser uma peça de publicidade de uma música/álbum/banda, deve ter agregado muitos novos fãs à gaspard augé e xavier de rosnay (pelos holofotes lançados sob eles graças a toda a discussão). desde lá, até onde pude acompanhar, além do filme (show/documentário/dvd) a cross the universe, gavras não havia produzido mais nada. muitos, como eu, já não lembravam do cineasta.

daí que, desde a semana passada seu nome não sai do noticiário musical, graças a um novo trabalho seu, o clipe de born free, single que precede o novo álbum da (grande) cantora indiana/naturalizada inglesa m.i.a.. o youtube tirou do ar o material e desde então mil blogs, jornais, revistas, jornalistas, twiteiros, s…

ciro gomes:

triste pensar que ciro gomes não sairá de candidato em 2010. o ex-ministro é o tipo de sujeito que amplia o debate, por se colocar, quase sempre, de modo claro e direto em relação aos mais variados assuntos. na verdade, a fala de ciro, ainda quando não concordamos com ela (e isso não quer dizer nada, se pensarmos que políticos em geral não fazem o que dizem), é sempre de uma clareza desconcertante. quem acompanha política neste país sabe, ciro gomes é alguém que diz as coisas, ou seja, é uma exceção, diante de tanto discurso vazio. exemplo: sua afirmação de que não há muita diferença entre as candidaturas mainstream deste ano (e dos últimos 16 - afinal, desde 1994 psdb e pt são protagonistas na luta pela presidência). aliás, só não vê quem não quer, e a grande imprensa faz questão de nos ajudar a enxergar... uma pena, perde o brasil, sim, como afirma o deputado em seu site (aqui). burrice do psb.

quem viu a entrevista do "ex-candidato" na rede tv no domingo sabe que ele ajuda…

quarta-feira:

nesta quarta acontece a estréia (parece que essa palavra não leva mais acento, mas como acho que ela fica estranha assim, decidi mantê-la como estava - sorry) de um novo projeto no vecchio giorgio, quarta do choro com o quarteto ginga do mané. a idéia é simples, oferecer aos frequentadores da lagoa e do vecchio, aos apreciadores de música instrumental, aos fãs do ginga, aos comedores de pizza (e nisso a casa não perde pra ninguém, pois sua massa é das melhores do país), interessados em ouvir música e conversar, uma lugar bacana e uma boa oportunidade para isso.


mais: esse é apenas o primeiro passo do vecchio numa ampliação de possibilidades musicais. mas ainda é preciso dizer que nesta estreia (viu, como fica feio?!?) haverá a presença do grande bandolinista geraldo vargas como convidado do ginga do mané.

SERVIÇO: onde: vecchio giorgio, av. afonso delembert neto, 103, lagoa da conceiçãoquando: quarta-feira, 28 de abril, 20 horas e 30 minutos quanto: 10 reais (homens), 5 reais (mulheres)

festival do minuto:

desde 2000 (quando ajudei a produzir uma de suas edições em florianópolis - a apresentação aconteceu ao ar livre no centro, em frente ao mc'donalds da trajano) sou fã do festival do minuto. um confere na página do evento no youtube pode fazer alguém perder um tempão com bobagens, mas pode também divertir o curioso...





dj cremoso:

dj cremoso virou hype recentemente. não conhecia, fiquei sabendo de sua existência ontem, na casa de gustavo monteiro - o dj zé pereira, ou gstv ou gustavo zésper ou... - e chapei com seus remixes. o produtor, teoricamente um maranhense que há anos vive em belém, foi citado recentemente em alguns blogs/sites campeões de popularidade (o esquema, factóide, garotas estúpidas), ganhou texto sobre si em veículos mais conservadores, como o globo, por exemplo, e uma entrevista, mais ou menos esclarecedora, na shhh fm, tudo por conta dos remixes tecnobrega que fez com faixas de nomes tão diferentes quanto nirvana, lady gaga, oasis e new order. mas não apenas por isso o interesse em torno da maionese do tecnobrega cresceu, a questão é que ninguém sabe ao certo quem é o misterioso sujeito por trás destas produções. especulações e hype a parte, são divertidíssimas as suas versões.
hoje, discoteco em duas festas diferentes e não deixarei de colocar pro povo um pouquinho de suas levadas paraenses..…

electronic:

há 20 anos atrás, em meio ao burburinho de novo hippiesmo pop e a tomada do mainstream peladance underground de grupos como black box, bomb the bass e, principalmente, technotronic, um duo, formado por dois dos mais importantes nomes dos 80's, invadia o dial com uma linda canção chamada getting away with it. era ou não era pra deixar qualquer jornalista desconfiado? uma espécie de super banda formada por um ex-smith agora convertido a acid house, johnny marr, mais o vocalista e principal compositor do new order (sim, daqueles que conseguiram conciliar "credibilidade indie rock" com pista cheia), bernard sumner. mas havia mais: neil tennant e chris lowe dos pet shop boys como colaboradores... sim, era para qualquer jornalista ficar desconfiado. não eu, que tinha 13 anos recem completos. getting é, até hoje, uma de minhas músicas preferidas (ela concilia tudo que uma canção deve ter para importar: uma bonita melodia e uma letra que trata seu ouvinte com respeito - e ainda …

street life:

revi recentemente cães de aluguel, versão em dvd com um monte de extras bacanudos - para fã nenhum colocar defeito. por causa de tarantino passei a ouvir e gostar de um montão de coisas (eu e a maior parte de quem viu seus filmes, certo?!?), por isso baixei em seguida sua trilha. daí que, lembrei de street life... como gosto desta canção! e de jackie brown, filme que me apresentou a ela. costumo discotecá-la de vez em quando, inclusive. por isso, e porque acho que esta é uma granade música para se ouvir a véspera de um feriado, resolvi compartilhá-la com quem acompanha estas minúsculas. são duas versões (ambas feitas ao vivo): a primeira, de 1980, com os crusaders (que fizeram a gravação original da faixa - randy é na verdade voz convidada no disco) e a segunda, numa pegada mais jazzy, com o trio do pianista joe sample...

delicie-se.



coisas que queria dizer:

quis ter dito aqui, semana passada, que achava divertido pensar na possibilidade de parte da elite política brasileira morrer em um desastre aéreo, como ocorreu recentemente na polônia... aí andré forastieri foi lá e escreveu muito bem a respeito e acabou com algum possível argumento/piada de minha parte (aqui).
seria interessante ter dito aquilo. poderia ter linkado a notícia ao fato de, no domingo anterior, a folha de são paulo ter feito um (simpático - como não poderia deixar de ser, não?!?) perfil de josé serra. não que eu esteja aqui levantando bandeira de seus rivais do pt, longe de mim. embora ache que este governo que aí está tenha feito mais que qualquer outro na história recente deste país. não é aderir a falácia propagandista de quem está no poder, afirmar que desde juscelino kubitschek o brasil não tenha tido um presidente que tenha o transformado tão positivamente (e nem é difícil encontar subsídios que comprovem tal afirmação, não?!?). agora, isso não significa que devam…

confusão:

dormir tarde, acordar tarde, aquela merda. ok, vou melhorar meus horários e ser mais disciplinado... semana que vem.

muitas coisas ontem: como a peça as criadas (de jean genet) no espaço casa das máquinas na lagoa (ficou bacanudo o ambiente do espetáculo!). cheguei por ali atrasado e aproveitei para conversar com minha amiga e parceira bianca chiaradia (nós, mais alexandre sucupira, temos um coletivo alcunhado de surraxco de alface vídeos independentes e guerrilha cultural).


se já vinha de outra reunião sobre um projeto que se realizará na semana que vem, a partir de então, não parei: vi um pouco do show que a felixfônica fazia no vecchio giorgio e um pouco da apresentação do projeto solo de jeco thompson (com participação de emília carmona e auxílio luxuoso de giulio mongaru na percussão) no lounge que o restaurante nomuro divide com a galeria de luciano martins no baixo lagoa (sim, é assim que vem sendo chamado aquele pedacinho de floripa agora... hum, tá bom...). aliás, é preciso, …

malcon mclarem, maria bethânia, ferreira gullar e as invenções necessárias:

na sexta-feira, quando soube da morte de malcolm mclaren, já tinha colocado aqui um post para animar seu/meu fim-de-semana. daí que, nos dias que se seguiram, quando lembrava do acontecido, pensava que não havia uma razão muito consistente, além de uma relação muito pessoal de descoberta de um novo mundo através do que li (sobre o punk) em uma revista bizz quando tinha 15 anos, para escrever a respeito do falecimento deste senhor a quem alguns, eu incluso (e já explico porque), atribuem a invenção de um movimento musico/comportamental que, de certo modo, reorganizou o cenário cultural mundial nas últimas décadas do século passado (e que ditou as regras que ainda hoje valem para quem faz pop, não?!? - e quando digo pop quero incluir aí uma gama variadíssima de possibilidades, de eletro/tecnopop à mangue b(i)eat, de tecno brega à onda neo-folk-conservadora, de hip-hop e adjacências à grunge e os roqueirismos diluidores dos últimos 30 anos, etc e etc). o que me fez mudar de idéia e acred…

4 remixes e 1 mashup para a sexta-feira:

(discotecando no blog, a saga continua...)

aproveito que os australianos (nos últimos anos eles estão dominando as pistas ou é impressão minha?!?) do midnight juggernauts estarão em são paulo no fim deste mês (em única apresentação no país) apresentando seu indie rock de sintetizador e coloco na roda este ótimo remix de into the galaxy...

mas antes, para esquentar o clima, fiquemos com a gostosa versão feita pelos alemães do club des belugas para mambo italiano (em gravação original do grande dean martin - feita em meados da década de 60). na sequência, a primeira faixa citada, seguida, para ficarmos ainda no mesmo país, de um dos grandes hits de 2008: light & music (moulinex remix) do cut copy. para subir mais a adrenalina, um som nervoso, capaz de levar até o mais resistente para a pista: no you girls do franz ferdinand (revisado pelo dj inglês foamo). mas não paremos por aí, já que hoje é sexta e desperdiçar uma noite como a que se anucina me parece um crime (e dos que não vale …

angela boatwright:

não conhecia o trabalho da fotógrafa angela boatwright até esbarrar, por acaso, com seu site (que merece uma visita, afinal as imagens acima são apenas uma pequeníssima amostra do trabalho da artista). é de encher os olhos, delicie-se pois.

(sugestão trilha para ver as imagens de boatwright: dengue fever - banda cambojana radicada no estado da califórnia, u.s.a.) ___________________
não me sinto confortável para falar a respeito da(s) tragédia(s) (anunciada(s)) que se abateu(ram) sob um lugar que amo, o rio de janeiro, mas não me furto de torcer publicamente para que em breve tudo esteja mais lindo do que foi. será!

a cidade somos nós:

há cerca de três anos, em minha finada coluna (jean mafra em minúsculas) no igualmente finado site tô puto, disponibilizei o texto que você lê abaixo. de lá para cá muito pouco, ou quase nada, mudou - pena... de todo modo, tenho orgulho de ter dito o que disse e lembro que na época minha fala fez eco entre muita gente que respeito (talvez por isso, talvez porque o assunto me interessa, a partir do texto compus duas canções...).

(algumas informações estão velhas, talvez, mas em ano eleição, acho que minha crônica continua pertinente...)
____________________

a cidade somos nós
retrato trêmulo: se a cidade morre, que (re) nasça


na lentidão do engarrafamento a velha canção manjada em arranjo cool e sem sal que repete a moda de 4 ou 5 anos atrás. malabaristas se atrapalham e quase derretem sob o sol de uma tarde de praia e vazio. estudantes gritam palavras de ordem e param o trânsito e apanham de policiais truculentos e nada lentos em defender o interesse de quem... quem?

uma propaganda sorriden…

discotecando no blog:

discotecando no blog abre espaço aqui para três petardos grooveados que descobri ao longo das últimas semanas num dos mais interessantes blogs musicais brasileiros da atualidade, a camarilha dos quatro. faço essa afirmação pois, neste endereço, assim como esse que você lê agora, não se fala apenas de rock e adjacências, a idéia é que música é mais que um estilo somente... à camarilha não interessa tanto quando sai o novo do novo queridinho do hype, mas o que é bom e escapa por entre os dedos da maior parte da imprensa musical...

comecemos com o produtor norte-americano dâm funk e sua chacoalhante mirros (2010) - música para iniciar a noite (dançando devagarinho...). dâm lançou uma série de eps nos últimos meses que acabaram por, juntos, formar o álbum toeachinzown, de saiu a faixa que deu neste vídeo aqui de baixo...




na sequência: dando continuidade ao clima, mas crescendo em uma atmosfera mais tensa, seguimos com o estranhamento psicodélico e eletrônico de odessa, docaribou (projeto d…

discos discos discos:

já disse aqui, em outras ocasiões, que se há críticos que podem ser chamados de músicos frustrados, de mim, por vezes, poderia ser dito o contrário. embora seja mentira. isso porque, por meu interesse em literatura e teoria(s)/crítica literária(s), sempre me atrevi a resenhar/repensar os trabalhos de quem me interessa (e até o meu mesmo - ainda que neste caso, penso, minha crítica possa ter uma autoridade assassina sobre seu objeto, o que não interessaria a mim, ao meu trabalho e, principalmente, a quem por ventura venha a querer se debruçar sobre ele)... dito isso, falo agora de três discos que ganhei de artistas com quem me relacionei nos últimos tempos. são três coleções de canções de quem não está no centro (propriamente dito) do país e/ou de sua (indústria da) música. mas que, independentemente de qualquer coisa, apostam em construir projetos que não se submetem a um certo padrão contemporâneo bem sucedido... (ou quase isso)

semana passada pedro morais fez duas apresentações aqui …

coisavária (the presets):

o fragmento me atravessa
daí que, como discoteco 
hoje e sábado 
& quero dançar 
& compartilhar esse desejo...

não gosto de páscoa e se não estivesse vegetariano aceitaria o convite de um amigo e participaria de um churrasco que ele organiza, a fundação badesc está com um programção bacaníssima em seu cineclube para este mês de abril (corra pro google e se informe), não dou a mínima para esse negócio do dia 1°, resolvi juntar aqui uns vídeos de performances ao vivo do duo australiano the presents (gosto muito disco deles, apocalypso, 2008 - costumo discotecar algumas faixas suas) para animar quem, como eu, pretende, hoje a noite, se jogar no salão.
dancemos pois...